Manual da Compra

Review JBL Quantum 100: Leia a análise completa!

Até 2020 a JBL estava fora do mercado de fones gamer, mas quando chegou foi “chutando a porta”. A empresa lançou a linha Quantum, que possui modelos para todos os orçamentos. O JBL Quantum 100 é o mais simples deles, indicado para aqueles consumidores que buscam um headset de entrada para jogarem casualmente.

O JBL Quantum 100 entrega o “básico” de um headset gamer, mas com a qualidade de áudio já conhecida da fabricante. Ele é um fone confortável, entrega um som de qualidade, tem microfone removível e é compatível com vários dispositivos. No entanto, ele possui pontos negativos que podem afastar alguns consumidores. Falaremos deles mais tarde na nossa análise.

Veja a seguir o review completo que o Manual da Compra preparou do JBL Quantum 100.

  • Tipo: Over ear
  • Drive: 40 mm dinâmico
  • Impedância: 32 Ω
  • Resposta de frequência: 20 Hz a 20 KHz
  • Fio: Conexão para fio P2 3,5mm
  • Microfone: Direcional e destacável
  • Construção: Estrutura em alumínio, peças de plástico, conchas com espuma de memória e revestimento em couro sintético
  • Peso: 220 gramas
  • Compatível com: PC, MAC, PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series S/X e Smartphones

Design

Design do JBL Quantum 100
Design do JBL Quantum 100. (Foto: Reprodução/Manual da Compra)

O JBL Quantum 100 é o modelo mais simples da linha de fones gamer da JBL, por isso seu design acaba praticamente passando despercebido. Não é algo negativo, pois ele não é um fone feio, mas se você espera luzes, cores extravagantes e formatos “diferentes”, esse fone passa longe disso. A sua estrutura é feita em alumínio, mas todas as peças externas são de plástico e sem muitos detalhes.

Os únicos detalhes do Quantum 100 são na lateral das conchas (logo da JBL em alto-relevo) e na parte superior da haste (nome JBL). Por falar em haste, a deste fone é toda emborrachada, com uma espuma na parte que entra em contato com a cabeça. As conchas possuem revestimento em couro sintético e preenchimento de uma espuma de memória, cujo objetivo é moldar-se rapidamente à orelha.

Conchas do JBL Quantum 100
Conchas do JBL Quantum 100. (Foto: Reprodução/Manual da Compra)

É válido destacar que suas conchas giram em 90°, por isso em momentos que você não estiver escutando música, pode deixar o headset no pescoço de forma confortável. O Quantum 100 possui uma “rodinha” para controlar o volume na lateral, bem como um botão para silenciar o microfone, que é destacável.

O JBL Quantum 100 gira as conchas em 90°.O JBL Quantum 100 gira as conchas em 90°. (Foto: Reprodução/Manual da Compra)

O headset é confortável, mas com o tempo começa a apertar um pouco a cabeça. Durante os testes que fizemos, ele não chegou a causar desconforto mesmo após horas de uso. Ele possui regulagens de tamanho e os revestimentos das conchas são macios, além de não esquentarem a orelha após algum tempo.

O que incomoda no uso é que as peças externas parecem ser feitas de um plástico barato, e inclusive ficam “estalando” o tempo inteiro. Nós tivemos esse mesmo problema ao testar o JBL Quantum 300, que é o modelo intermediário da linha.

Áudio

JBL Quantum 100.
JBL Quantum 100. (Foto: Divulgação/JBL)

A JBL informa que o Quantum 100 possui drivers de 40 mm, 32 Ohm de impedância e resposta de frequência que vai de 20 Hz a 20 kHz. Ele oferece um áudio bem equilibrado, o que é bom, pois apesar de nenhuma frequência se destacar, também não notamos falta de graves, médios ou agudos. O áudio dele não é impressionante, mas também não decepciona, principalmente considerando que é um fone de entrada.

O que notamos de ponto positivo foi a sua boa capacidade de som estéreo, que consegue localizar bem os objetos e dar boa sensação de espaço para o usuário. Apesar de não ter Surround nativo, ele é compatível com o som Surround do Windows. Em jogos, principalmente FPS, é possível ouvir essa boa percepção de campo, dando para distinguir de onde estão vindo os passos ou tiros.

Fio e conector

Plug 3,5mm do JBL Quantum 100.
Plug 3,5mm do JBL Quantum 100. (Foto: Reprodução/Manual da Compra)

Esse headset possui fio não removível com 1,2 metros de tamanho. Ele é trançado e aparenta ser resistente, o que é ótimo para quem tem mania de enroscar o cabo em alguns lugares na hora de levantar. O conector é de 3,5 mm e é combo de áudio, ou seja, é o mesmo plug para som e microfone.

O ponto positivo é que o headset é compatível com muitos dispositivos, sendo eles: PC, notebook, celular, Xbox One, Xbox Series S/X, Playstation 4, Playstation 5, Mac e VR (realidade virtual). No entanto, se o seu computador só tiver as entradas separadas para fone e microfone, você terá que investir em um adaptador.

Microfone

Microfone (destacável) do JBL Quantum 100.
Microfone (destacável) do JBL Quantum 100. (Foto: Reprodução/Manual da Compra)

Como foi citado no tópico de design, o microfone do JBL Quantum 100 é removível, por isso você pode usá-lo como se fosse um headphone em momentos que não for se comunicar com ninguém. A haste do microfone é flexível, por isso é fácil ajustá-lo em um bom ângulo na hora de fazer chamadas com os amigos ou jogar games que tenham chat de voz.

A qualidade do microfone impressionou nos testes. Esperávamos que pelo JBL Quantum 100 ser um headset de entrada, pudesse ter distorção da minha voz ou mesmo chiados de fundo, mas o microfone conseguiu isolar bem e manter o tom da minha voz natural, sem modificações ou som estourado. Mesmo em ambientes com barulho de fundo, o outro lado da conversa irá conseguir escutar a sua voz com clareza.

Conclusão: Vale a pena comprar o JBL Quantum 100?

O JBL Quantum 100 agrada no conforto, mas peca um pouco na construção, mesmo sendo um fone de entrada. Seu som é equilibrado e consegue entregar todas as frequências com qualidade digna, com destaque para o estéreo, que realmente funciona muito bem. O fato de ele ser compatível é ótimo, mas lembre-se do adaptador caso seu computador tenha entradas 3,5 mm separadas para som e microfone.

Por falar em microfone, o JBL Quantum 100 impressionou neste quesito. Não esperávamos uma boa comunicação com ele, mas o isolamento de ruídos e clareza da voz são bem feitos aqui.

Sempre ao analisarmos um fone a primeira coisa que pensamos é no seu preço e no que ele tem (ou não) a obrigação de entregar por aquele valor. Felizmente o JBL Quantum 100 é um modelo que cumpre o seu papel e entrega uma boa qualidade para um fone de entrada, podendo ser considerado um dos principais headsets em sua faixa de preço.