Manual da Compra

Review Logitech G Pro X Superlight: um mouse gamer sem fio super leve

Os mouses leves estão ganhando mais espaço no mercado, e para não ficar de fora a Logitech atualizou sua linha G Pro com o Logitech G Pro X SuperLight, também chamado de Logitech G603. O modelo pesa apenas 63 gramas e traz o sensor Hero 25K, que como o próprio nome denuncia, chega a 25 mil de DPI!

O mouse da fabricante é focado em um público específico de consumidores que buscam modelos leves, mas pode converter alguns usuários de mouses com peso convencional (como foi o meu caso). O Logitech G Pro Superlight também oferece um bom conforto e bateria duradoura, mas pode apresentar alguns problemas de performance, principalmente para os mais exigentes.

Veja abaixo o nosso review completo do Logitech G Pro X Superlight.

Ficha técnica do Logitech G Pro X Superlight

  • Sensor: Hero 25K
  • Aceleração máxima: 40G
  • Velocidade máxima: 400 IPS
  • DPI: 100 até 25.600
  • Bateria: 70h de autonomia
  • Pode ser usado com cabo: Sim
  • Acabamento: Plástico
  • Botões adicionais: 2 na lateral
  • Pode ser configurado via software: Sim
  • Peso: 63 gramas
  • Conteúdo da caixa: Mouse, Cabo USB, Dongle USB, Adaptador USB p/ USB-C e Adesivos

Design do Logitech G Pro X Superlight é simples e não chama atenção

O Logitech G Pro X Superlight é um mouse bem discreto, o que pode ser positivo para uns, mas negativo para outros que gostam de periféricos “extravagantes”. Ao contrário de outros mouses até da própria Logitech, ele não tem iluminação RGB e conta com os botões básicos: clique direito, esquerdo, scroll e botões na lateral (esquerda).

Design simples, porém com bom acabamento do Logitech G Pro X Superlight
Design simples, porém com bom acabamento do Logitech G Pro X Superlight (Foto: Manual da Compra)

Comparado ao próprio Logitech G Pro Wireless convencional, alguns podem sentir falta de mais botões. Esse mouse não fica muito legal para canhotos, por não ter botões do lado direito. Outro botão que faz falta é o de mudança rápida de DPI; então se você é daqueles que usa uma quantidade de DPI para cada jogo, terá que fazer as alterações via software.

O G Pro X Superlight não tem botão para mudança rápida de DPI
O G Pro X Superlight não tem botão para mudança rápida de DPI (Foto: Manual da Compra)

Ele possui acabamento em plástico e faz jus ao nome SuperLight, pois realmente é muito leve. Na parte inferior temos os pés feitos em PTFE (que ajudam a deslizar melhor) e uma cavidade para guardar o dongle USB usado na conexão Wireless. A empresa ainda manda uma outra tampa para essa cavidade, essa revestida do PTFE. É na parte inferior do mouse que também fica o botão para ligar e desligar.

Parte inferior do mouse, com cavidade para guardar o dongle USB
Parte inferior do mouse, com cavidade para guardar o dongle USB (Foto: Manual da Compra)

Usabilidade e conforto são pontos de destaque do Logitech G Pro X Superlight

Eu não gostava de mouses super leves, mas a experiência com esse foi tão positiva que retirei os pesos do meu mouse principal para que a sensação de uso ficasse parecida com a deste modelo. O Logitech G Pro X SuperLight desliza muito bem graças às bases de PTFE, e por mais que o seu corpo seja totalmente liso, não escorrega da mão.

Os dois botões laterais já são o suficiente para o meu uso, mas senti falta de um botão de alteração rápida de DPI, pois sempre que eu precisava fazer isso, precisava ir no software. O scroll dele também é confortável, com acabamento emborrachado e superfície texturizada.

Scroll com acabamento emborrachado
Scroll com acabamento emborrachado (Foto: Manual da Compra)

Eu tenho a pegada do tipo Palm e não tive nenhum problema com o Logitech G Pro X SuperLight. Testei em outras pegadas também (Fingertip e Claw) e o achei muito confortável em ambas. Para referência, a minha mão tem 18 cm, contando a partir da ponta do meu dedo médio até o começo do pulso

Para quem tem mãos grandes e médias, creio que nenhuma das pegadas será um problema, mas para quem tem mãos pequenas e usa a pegada palm, talvez os dedos que você use para clicar não cheguem ao final do botão, e daí será necessário fazer mais força no clique.

Pegadas Palm, Claw e Fingertip no Logitech G Pro X Superlight
Pegadas Palm, Claw e Fingertip no Logitech G Pro X Superlight (Foto: Divulgação/Manual da Compra)

Sensor e testes de desempenho do Logitech G Pro X Superlight

O Logitech G Pro X Superlight usa um sensor da própria fabricante, o Logitech Hero 25K. Ele possui um DPI configurável que vai desde 100 até 25.600, e trabalha em uma taxa de relatório (Polling Rate) de 1000 Hz, equivalente a 1 ms, o que é ótimo, pois significa que o tempo de resposta do mouse é super rápido.

Abaixo realizamos alguns testes com software para mostrar um pouco do desempenho do Logitech G Pro X Superlight. Apesar de os testes darem uma boa demonstração do periférico, é válido ressaltar que fatores como o mousepad, possíveis interferências magnéticas de sinal, computador, entre outras coisas, podem alterar um pouco os resultados.

Teste de precisão do Logitech G Pro X Superlight

O teste de precisão consiste em fazer movimentos de zigue-zague com o mouse enquanto um software chamado MouseTester (v1.5) captura os movimentos. Fazendo isso por alguns segundos, o programa gera um gráfico relacionando o rastreio do mouse com os movimentos captados. É importante ressaltar que, apesar de o programa ser usado por vários testadores, ele não tem uma acurácia de 100%, por isso pode haver pequenos erros de monitoramento.

Teste de precisão do Logitech G Pro X Superlight
Teste de precisão do Logitech G Pro X Superlight (Imagem: Reprodução/MouseTester/Manual da Compra)

O desenho em risco do gráfico é o movimento feito com o mouse, e as bolinhas representam o rastreio do sensor; quanto mais próximo da linha as bolinhas estiverem, mais preciso é o rastreio. Realizei o teste várias vezes, coloquei o receptor USB mais perto do Logitech G Pro X Superlight e até mesmo pluguei o cabo, mas os resultados eram sempre parecidos, com uma quantidade considerável de distorções no rastreio.

Essas distorções podem fazer com que o mouse dê pequenos “pulos” na movimentação, ou mesmo mexa um pouco sozinho, mas no dia a dia e em jogos eu não presenciei esses problemas com DPI em 1200, mas notei que em DPI’s mais altos acontecia com alguma frequência. Não sou um jogador hardcore e, então os mais aficionados em FPS, por exemplo, que exige um nível mais alto de precisão do ponteiro do mouse, podem notar esses pequenos problemas.

Teste de Aceleração do Logitech G Pro X Superlight

O teste de aceleração consiste em mover o mouse do ponto A ao B bem rápido, e depois retornar ao ponto A mais devagar. Também usamos o MouseTester (v1.5) para registrar o teste, e o resultado ideal é que o cursor volte exatamente do ponto que saiu, ou seja, em caso de problemas de aceleração, ele passaria do ponto de partida, ou terminaria antes.

Teste de aceleração do Logitech G Pro X Superlight
Teste de aceleração do Logitech G Pro X Superlight (Imagem: Reprodução/MouseTester/Manual da Compra)

Aqui os resultados também não são 100% precisos, então podemos relevar pequenas diferenças. Se o mouse passa muito do ponto inicial, é como se ele estivesse fazendo um movimento que não existe; se ele termina o rastreio muito antes do ponto, significa que o usuário pode “perder movimentos”, já que o sensor parou de rastrear antes do fim do movimento físico do periférico.

No teste de aceleração o Logitech G Pro X Superlight mostrou bons resultados. Realizei vários testes para ter uma constatação melhor, e quando o mouse não retornava para a linha inicial, dava uma pequena aceleração negativa, nada que deva preocupar.

Teste de Jitter e Prediction no MS-Paint

Fizemos o famoso teste do paint para testar a consistência do rastreio em diferentes valores de DPI. Esse teste também serve para verificar se o mouse possui algum tipo de prediction, que é quando o periférico tenta “corrigir” a trajetória do ponteiro a ajustando automaticamente, o que não é legal principalmente para quem joga, já que o mouse fará um movimento que você não fez.

Aqui o teste é simples, fazemos várias linhas, espirais e escrevemos o valor do DPI usado no paint. Se as linhas ficarem super retas, é porque o mouse está tendo o prediction do movimento. Já os espirais e escritas servem para o teste de Jitter, que verifica as distorções do sensor e vai de encontro com o teste de precisão feito anteriormente. Quanto mais tremidos as escritas e espirais tiverem, mais distorções o mouse está tendo na leitura dos movimentos.

Teste de Jitter e Prediction do Logitech G Pro X Superlight 
Teste de Jitter e Prediction do Logitech G Pro X Superlight (Imagem: Reprodução/Paint/Manual da Compra)

É normal que em valores altos de DPI essas distorções comecem a aparecer, mas em valores baixos elas são quase imperceptíveis, como acontece no Logitech G Pro X Superlight. Já no teste de prediction, notei que aconteceu um pouco com o DPI baixo (600), mas depois não aconteceu com valores mais altos.

Bateria do Logitech G Pro X Superlight surpreende pela autonomia

 A bateria G Pro X Superlight impressiona pela autonomia, e ele ainda pode ser usado com fio
A bateria G Pro X Superlight impressiona pela autonomia, e ele ainda pode ser usado com fio (Imagem: Reprodução/Manual da Compra)

A Logitech afirma que a bateria do Logitech G Pro X Superlight dura em torno de 70 horas em movimento constante, e sendo sincero, durante os períodos de teste não consegui esgotar ela para falar com exatidão qual a sua duração, mas pelo menos a autonomia prometida pela empresa é alcançada com facilidade.

O meu uso é intenso e o testei por cerca de uma semana, mas percebi que algo que ajuda muito na economia de bateria é que ele desliga automaticamente após um tempo sem uso. Isso é ótimo, pois em diversas vezes eu saio para ir comer algo na cozinha, ou ir ao banheiro, e em pouco tempo ele já desliga para poupar bateria. Para ele ligá-lo novamente, basta realizar qualquer movimento no mouse.

Outro ponto positivo do Logitech G Pro X Superlight é que é possível usá-lo no modo com fio, com o mesmo cabo que se usa para carregá-lo. Isso garante que você nunca ficará sem mouse para usar, pois, além de uma excelente duração de bateria, você ainda tem o plano B: usá-lo com fio (ele recarrega enquanto isso).

Software da Logitech oferece várias configurações

Configuração de DPI no GHub
Configuração de DPI no GHub (Imagem: Reprodução/GHub/Manual da Compra)

A Logitech possui o software GHub, e é por lá que você consegue configurar tudo no Logitech G Pro X Superlight. Você pode alterar o DPI do mouse com valores pré-definidos ou escolher um valor customizado. O software também mostra a quantidade de bateria do mouse, versão do seu firmware e se ela está atualizada.

Na aba atribuições é onde o usuário pode alterar comandos, criar macros para os botões, alterar ações, entre outras configurações. O lado positivo é que mesmo tendo poucos botões, todos eles são personalizáveis. Se você tiver outros periféricos da Logitech, fica mais prático ainda, pois todos podem ser controlados em um único software.

Configuração dos botões no GHub
Configuração dos botões no GHub (Imagem: Reprodução/GHub/Manual da Compra)

É válido lembrar que você pode criar até cinco perfis diferentes para o Logitech G Pro X Superlight e salvar todas as configurações deles na memória interna do mouse. Apesar de não ter um botão para trocar esses perfis de forma rápida, você pode trocá-los rapidamente no software.

Vale a pena comprar o Logitech G Pro X Superlight?

O Logitech G Pro X Superlight é uma ótima opção para quem busca um mouse sem fio acima da média, e traz o diferencial de ser muito leve. É um mouse específico para quem busca modelos leves, então se você nunca testou um, talvez seja um pouco arriscado comprar com a justificativa de “vou me adaptar”, pois isso pode simplesmente não acontecer.

No entanto, se você mira em mouses da categoria, ele é uma boa opção no mercado. É válido destacar que ele não tem iluminação RGB, botão de mudança rápida de DPI e conta com apenas dois botões laterais, pontos que podem não agradar alguns consumidores. Além disso, o seu sensor mostrou inconsistências em alguns testes, mas não tive problemas com ele enquanto jogava games MOBA e FPS.

Como pontos positivos, além do peso, destaco a bateria espetacular do Logitech G Pro X Superlight. Além disso, o software da Logitech é bem completo e oferece várias opções de configurações, fora o fato de ele poder ser usado também no modo com fio, o que é um diferencial legal para modelos wireless.

Pontos positivos:

  • Muito leve
  • É confortável
  • DPI chega a 25 mil
  • Bateria duradoura
  • Pode ser configurado via software
  • Pode ser usado em modo com fio

Pontos negativos:

  • Pode apresentar problemas de desempenho
  • Sem botão para mudança rápida de DPI