Manual da Compra

Review HyperX Pulsefire Surge: um mouse gamer com RGB em 360°

O HyperX Pulsefire Surge é um dos mouses da coleção surge da HyperX, podendo ser considerado o irmão do meio da família. Ele é um modelo muito bonito e traz o diferencial de ter iluminação RGB em 360°, sendo o único da linha com tal característica. Além disso, ele usa o mesmo sensor dos outros, é confortável e tem uma configuração super completa que pode ser feita via software.

Esse é um mouse gamer que deve agradar até mesmo os jogadores mais exigentes, e pelo seu preço, é difícil achar um concorrente que entregue os mesmos recursos. Confira abaixo o nosso review completo do HyperX Pulsefire Surge.

Ficha técnica do HP Gaming G210

  • Sensor: Pixart 3389
  • Aceleração máxima: 50G
  • Velocidade máxima de rastreamento: 450ips
  • DPI: 16 mil
  • Cabo: 1,8 metros trançado
  • Acabamento: Plástico
  • Botões adicionais: 2 na lateral, 1 para troca de DPI
  • Pode ser configurado via software: Sim
  • Peso: 100 gramas (sem o cabo)
  • Conteúdo da caixa: mouse e manuais

O design com RGB do Pulsefire Surge é um ponto muito positivo

Design do HyperX Pulsefire Purge
Design do HyperX Pulsefire Purge (Foto: Divulgação/Manual da Compra)

O HyperX Pulsefire Surge é um mouse com design “neutro” e pode ser usado tanto por destros quanto por canhotos, mas os botões laterais ficam na parte esquerda, então os canhotos “perdem” esse recurso.

É um mouse de tamanho médio e tem cerca de 11 cm de largura. O acabamento superior é todo em plástico liso, daquele que acumula várias marcas de digitais. Nas laterais há um acabamento emborrachado que quase passou despercebido. Na parte inferior, os pés em teflon são grandes e permitem um deslize bastante suave e sem nenhuma resistência.

Pés em teflon do mouse gamer da HyperX
Pés em teflon do mouse gamer da HyperX (Foto: Divulgação/Manual da Compra)

O que dá o charme especial no mouse gamer da HyperX é o RGB, que diga-se de passagem, é lindo! São dois pontos de iluminação: o logo da fabricante e uma faixa que percorre todo o mouse, em 360°. O RGB é totalmente customizável e tem muitas (muitas mesmo) opções de configurações, mas falaremos mais a fundo disso em outro tópico.

A iluminação RGB é o destaque do mouse
A iluminação RGB é o destaque do mouse (Foto: Divulgação/Manual da Compra)

Além dos botões principais (clique esquerdo, direito e scroll), o HyperX Pulsefire Surge tem três botões adicionais, sendo os dois laterais já citados e um na parte superior, para troca de DPI; todos eles podem ser customizados via software. O cabo tem cerca de 1,8 metros e é todo trançado, o que oferece mais resistência.

Botões laterais do mouse
Botões laterais do mouse (Foto: Divulgação/Manual da Compra)

O HyperX Pulsefire Surge é um mouse confortável para mãos médias e pequenas

O HyperX Pulsefire Surge pesa 100 gramas (sem o cabo), e dizer se ele é pesado ou não depende muito das suas referências anteriores. Todos os mouses que testei antes desse tinham 80 gramas ou menos, sendo um deles com 63 gramas (Logitech G Pro X Superlight), então não vou mentir, eu senti uma diferença de peso considerável. Não foi nada que incomodou e logo me acostumei, mas isso não passou batido.

Agora vamos falar um pouco das pegadas que ficam boas no Pulsefire Surge. A minha mão tem 18 cm, um tamanho que considero médio, e não tive desconforto em usar a palm, que é a minha pegada principal. Se a sua mão tem mais ou menos esse tamanho, usar a Claw e fingertip também não será um problema.

Pegadas palm, claw e fingertip com o Pulsefire Purge
Pegadas palm, claw e fingertip com o Pulsefire Purge (Foto: Divulgação/Manual da Compra)

Quem tem mãos pequenas também deverá se sentir confortável em usar a palm e claw, mas talvez a fingertip não agrade a todos. Já os donos de mãos grandes deverão ficar limitados a claw, pois na palm os dedos ficarão sobrando, e há algumas reclamações da fingertip também para mãos grandes.

O mouse da HyperX desliza super bem e não tem nenhum problema de limitação com o cabo, que como já dissemos, é todo trançado. Além disso, os botões são macios e duráveis, pois a fabricante promete até 50 milhões de cliques para eles.

Desempenho do mouse HyperX

O HyperX Pulsefire Surge usa o sensor Pixart 3389, que também aparece em todos os outros modelos Pulsefire da fabricante. É um sensor excelente e que tem um DPI máximo de 16 mil. Na época em que o mouse foi lançado, esse era um sensor topo de linha, mas em pleno 2022 ainda faz bonito, e não é atoa que aparece em tantos mouses, como o Husky Blizzard e o Sharkoon Light 200, ambos testados aqui no Manual da Compra.

Testes de precisão

O teste de precisão consiste em fazer movimentos de zigue-zague com o mouse enquanto um software chamado MouseTester (v1.5) captura os movimentos. Fazendo isso por alguns segundos, o programa gera um gráfico relacionando o rastreio do mouse com os movimentos captados.

É importante ressaltar que, apesar de o programa ser usado por vários testadores, ele não tem uma acurácia de 100%, por isso pode haver pequenos erros de monitoramento.

O desenho em risco do gráfico é o movimento feito com o mouse, e as bolinhas representam o rastreio do sensor; quanto mais próximo da linha as bolinhas estiverem, mais preciso é o rastreio. Realizei o teste várias vezes e com diferentes DPIs para diminuir os possíveis “erros” de monitoramento do programa, mas os resultados foram bem semelhantes em todos.

Teste de precisão com 1000 de DPI
Teste de precisão com 1000 de DPI (Imagem: Reprodução/MouseTester)

O HyperX Pulsefire Surge teve um desempenho excelente no teste de precisão. Ele mostrou poucas distorções (o que é normal) e mesmo em DPI alto, consegue manter a boa rastreabilidade do sensor.

Nós fizemos o teste em vários valores de DPI, mas geralmente postamos apenas o print com o teste realizado com 1000, mas dessa vez deixaremos abaixo o teste também com 16 mil, o máximo do Surge, para te mostrar o quão bom o sensor de saiu.

Teste de precisão com 16000 de DPI
Teste de precisão com 16000 de DPI (Imagem: Reprodução/MouseTester)

Teste de aceleração

O teste de aceleração consiste em mover o mouse do ponto A ao B bem rápido, e depois retornar ao ponto A mais devagar. Também usamos o MouseTester (v1.5) para registrar o teste, e o resultado ideal é que o cursor volte exatamente do ponto que saiu, ou seja, em caso de problemas de aceleração, ele passaria do ponto de partida, ou terminaria antes.

Aqui os resultados também não são 100% precisos, então podemos relevar pequenas diferenças. Se o mouse passa muito do ponto inicial, chamamos de aceleração positiva, ou seja, na movimentação rápida o mouse perdeu um pouco do rastreio. Se ele termina antes do ponto inicial, significa aceleração negativa, como se o sensor tivesse captado movimentos que não foram feitos no teste.

Teste de aceleração
Teste de aceleração (Imagem: Reprodução/MouseTester)

No teste de aceleração o HyperX Pulsefire Surge apresentou um pouco de aceleração positiva, mas nada preocupante, principalmente porque não senti o efeito dessa aceleração na hora de jogar, mesmo fazendo movimentações rápidas com o mouse. Conforme dissemos, o programa também não apresenta um resultado 100% preciso, então não é nada a se levar como um problema.

Software do Pulsefire Surge oferece várias configurações

É possível configurar cada um dos LEDs de forma separada
É possível configurar cada um dos LEDs de forma separada (Imagem: Reprodução/NGENUITY)

Para configurar o HyperX Pulsefire Surge você usará o software NGENUITY. Mesmo sendo um mouse gamer relativamente antigo, devemos tirar o chapéu para a quantidade de configurações RGB que podem ser feitas neles. A HyperX fez um ótimo trabalho e com certeza vai agradar muito quem gosta de passar muito tempo configurando cada luz do mouse, literalmente, pois ele oferece controle de cada um dos 32 leds disponíveis, conforme mostra a foto acima.

Mais configurações RGB
Mais configurações RGB (Imagem: Reprodução/NGENUITY)

Outras configurações da iluminação envolvem os diferentes tipos de efeitos (fade, sólido, ciclo, onda e respiração), brilho e até mesmo a velocidade. O programa também permite atribuir outras funções para os seis botões.

Configuração dos botões do mouse da HyperX
Configuração dos botões do mouse da HyperX (Imagem: Reprodução/NGENUITY)

Também é possível configurar cada valor de DPI nos valores pré-selecionados, alternados pelo botão superior. Além disso, você trocar o Polling Rate do HyperX Pulsefire Surge, e todas essas configurações podem ser salvas em até três perfis diferentes, que ficam armazenados no próprio mouse.

Configurações de diferentes valores de DPI
Configurações de diferentes valores de DPI (Imagem: Reprodução/NGENUITY)

Vale a pena comprar o HyperX Pulsefire Surge?

O Hyperx Pulsefire Surge é um mouse bem completo, e nele você encontrará conforto em diferentes pegadas, um ótimo desempenho para jogos e um visual muito bonito. O melhor de tudo isso são as várias possibilidades de configuração via software, que permitem você mudar a iluminação, DPI, funções dos botões entre outras coisas, salvando os perfis no próprio mouse.

Confesso que quando fui pesquisar o preço, até me assustei, pois pensei que ele fosse estar mais caro atualmente. No momento da publicação desta matéria, ele está custando cerca de R$ 200, o que o torna um ótimo custo-benefício, pois é um máximo que vai muito além do básico, e não custa tão caro assim.

Prós:

  • É confortável
  • Tem um ótimo desempenho
  • RGB em 360° totalmente configurável
  • Programa de customização é super completo
  • Tem um preço acessível

Contras:

  • Não é a melhor opção para mãos grandes
  • Apresenta leves problemas de aceleração